29 de mar de 2011

José de Alencar

     Eu estou arrasada, sempre ouvia falarem que o vice-presidente tinha ficado com uma doença, que seu câncer havia se espalhada para mais um local, ou algo do tipo, mas sempre que isso acontecia, José Alencar se recuperava e voltava a ajudar a cuidar de nosso país. Esse fato dele sempre se recuperar sempre me levava a pensar: "Poxa, esse homem é imortal, não interessa o quanto ele fique doente, sempre se recupera" Mas, como todos sabemos, nenhum humano é imortal, e a morte é a única certeza que temos na vida. Sendo assim, hoje o homem que julgava imortal, morreu, e sinto que devo essa homenagem a ele pelas suas lutas contra tantas doenças.

     José Alencar Gomes da Silva nasceu no dia 17 de outubro de 1931. Deve que começar a trabalhar com sete anos de idade, ajudando o pai em sua loja. Afinal, seus pais tinham quinze filhos para sustentar. Quando fez quinze anos, em 1946, foi trabalhar como balconista numa loja de tecidos conhecida por A Sedutora. Em maio de 1948, mudou-se para Caratinga, para trabalhar na Casa Bonfim. Notabilizou-se como grande vendedor, tanto neste último emprego, quanto no anterior. Ainda durante sua infância, entrou para o movimento escotista.
     Aos dezoito anos, iniciou seu próprio negócio. Para isto contou com a ajuda de seu irmão Geraldo, que lhe emprestou quinze mil cruzeiros. Em 31 de março de 1950, abriu a sua primeira empresa, denominada A Queimadeira, localizada na cidade de Caratinga. Vendia diversos artigos: chapéus, calçados, tecidos, guarda-chuvas... Manteve sua loja até 1953, quando decidiu vendê-la e mudar de ramo.
     Iniciou seu segundo negócio na área de cereais por atacado, ainda em Caratinga. Logo em seguida participou, em sociedade, de uma fábrica de macarrão, a Fábrica de Macarrão Santa Cruz. Até que Geraldo, seu irmão, faleceu no final de 1959 e José assumiu seus negócios.
     Em 1963, constituiu a Companhia Industrial de Roupas União dos Cometas, que mais tarde passaria a se chamar Wembley Roupas S.A. Em 1967, em parceria com o empresário e deputado Luiz de Paula Ferreira, fundou, em Montes Claros, a Companhia de Tecidos Norte de Minas (Coteminas). Em 1975, inaugurava a mais moderna fábrica de fiação e tecidos que o país já conheceu. A Coteminas cresceu e hoje são onze unidades que fabricam e distribuem produtos têxteis, para os Estados Unidos, Europa e Mercosul.
     Na vida política, foi presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, presidente da FIEMG (SESI, SENAI, IEL, CASFAM) e vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria. Candidatou-se às eleições para o governo de Minas Gerais em 1994 e, em 1998, disputou uma vaga no Senado Federal, elegendo-se com quase três milhões de votos. No Senado, foi presidente da Comissão Permanente de Serviço de Infra-Estrutura - CI, membro da Comissão Permanente de Assuntos Econômicos e membro da Comissão Permanente de Assuntos Sociais. Em 2003, assumiu a vice-presidência da República, o que seria seu mais importante cargo.
     No dia 25 de janeiro de 2011, quando Alencar recebeu a medalha 25 de janeiro, entreguei pela presidente Dilma Rousseff, achei muito legal e engraçada a frase que ele falou, tanto que a anotei, mesmo estando já fraco e em uma cadeira de rodas, ele teve bom humor para fazer o seguinte comentário: "Aprendi com Lula que os discursos devem ser como um vestido de mulher: nem tão curtos que possam escandalizar, nem tão longos que possam entristecer "
     Na última das várias internações, Alencar estava desde segunda (28) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio Libanês, em São Paulo, com quadro de suboclusão intestinal. O ex-vice-presidente lutava contra o câncer havia 13 anos, mas nos últimos meses, a situação se complicou.
     Outra coisa muito bonita que ele disse, dessa vez enquanto estava hospitalizado, foi a seguinte frase: "Se Deus quiser que eu morra, ele não precisa de câncer para isso. Se ele não quiser que eu vá agora, não há câncer que me leve"
     Hoje, com apenas setenta e nove anos, José Alencar morreu às 14h41, no hospital Sírio-Libanês. Após conversar com Josué Alencar, filho do ex-vice, a presidente Dilma Rousseff afirmou em Portugal que o velório será no Palácio do Planalto, em Brasília, aberto à visitação pública e com previsão de início às 10h30. Na quinta, dia 31 de março, o corpo também será velado em Belo Horizonte, no Palácio da Liberdade.

     Então é isso, pelo menos ele não está mais sofrendo como estava sofrendo aqui, digamos que José Alencar está tendo um descanso do que sofreu vivo, com todas as doenças que passou. Mas a vida é assim, os humanos não podem ser imortais, lembrem-se: a única certeza que temos na nossa vida é de que um dia iremos morrer.

2 comentários:

Any Brasil disse...

ai, eu gostava dele tb. muito triste.
trendluxo.blogspot.com

Berry ♔ disse...

Hooy, obg pelos elogios e por seguir, já estou seguindo seu blog tbm! José Alencar vai fazer muita falta mesmo :/ Bjus ;*

Postar um comentário

- Para evitar que seu comentário venha a ser excluído, leia a política de comentários do blog.
- Antes de fazer uma pergunta dê uma olhada na página de FAQ para ver se sua pergunta já não foi respondida lá.

Obrigada por comentar. Saber que minhas postagens são valorizadas por outras pessoas é o que me faz continuar com o blog