13 de jul de 2011

O início do Rock'n'Roll (1954-1963)

Não sei se já comentei com vocês, mas gosto muito de ouvir rock, o melhor de todos os gêneros musicais em minha opinião, então hoje iria falar sobre a origem do Dia Mundial do Rock, que é hoje, mas achei bem mais interessante falar sobre um pouco sobre a história do rock, mas como tem muita coisa pra contar sobre esse tipo de música, vou falar só uma parte, a antes dos Beatles. Sei que o post ficou grande, mas lhes garanto que o assunto é bem interessante.
165054_1601401148102_1028254963_31341838_971110_n_large
     Segundo historiadores, o iníco do rock foi no dia 5 de julho de 1954, quando um caminhoneiro chamado Elvis Presley foi no Sun Studios, em Memphis, para gravar That’s All Right, um blues composto em 1947.
     Mas, na verdade, Elvis não inventou o rock. Antes dele, gente como Chuck Berry e Bill Halley já tocavam rock. Desde o fim dos anos 40, "rock'n'roll" era usado em letras de música como sinônimo de "dançar" ou "fazer amor". Em 1952, o radialista Alan Freed batizou seu programa de Moondog’s Rock and Roll Party e depois reivindicou a criação do termo. O própri Elvis disse, em 1958, "O rock está por aí há muitos anos, mas era chamado de rhytm & blues"
     Elvis ao menos é a pessoa que apresentou o rock ao resto do mundo, com toda sua beleza, carisma e talento, conseguiu conquistar todos, e ainda tinha a vantagem de ser branco, o que fazia com que não sofresse racismo, que era tão comum com os negros antigamente.
      Apesar de Elvis ser um ótimo músico, a sociedade norte-americana demorou bastante para aceitá-lo por ser branco e cantar e dançar como um negro. Em janeiro 1957, Elvis se apresentou no programa Ed Sullivan show e as câmeras o filmaram apenas da cintura para cima, sem mostrar seu rebolado. O legal de Elvis, é que ele não tinha vergonha da origem de sua música, ele dizia: "O que eu faço não é novidade, os negros vêm cantando e dançando dessa forma há muito tempo."
     Em 1956, quando a música "Rock Around the Clock" de Bill Haley fez parte da trilha sonora do filme "Sementes da Violência", muitos tumultos, brigas e atos de vandalismo foram realizados nos cinemas dos EUA e da Inglaterra. Essa foi a primeira de muitas vezes que o rock'n'roll foi injustamente acusado de fazer adolescentes serem violentos.

    Em 1956, “Blue Suede Shoes”, de Carl Perkins, tornou-se a primeira música a chegar ao topo das paradas de pop, rhythm’n’blues e country. O fato representou um marco não só para a música, mas para toda a sociedade americana. Pela primeira vez, brancos e negros estavam gostando da mesma coisa.
     No dia 3 de fevereiro de 1959, Buddy Holly, Big Booper e Ritchie Valens (respectivamente na imagem abaixo) morreram num desastre de avião, depois de um show. Foi a primeira grande tragédia do rock, um evento que ficou marcado como "dia em que a música morreu".


     Se, na época, a vida no rock já não era tão fácil assim para um branco, imagine para um negro... mas ainda bem que apareceu Shelley "The Playboy" Stewart (imagem ao lado), um radialista negro que apresentava um programa de rock na estação WEDR, no Alabama. O programa de Stewart atraía um público predominantemente branco, que aprendera a gostar dos artistas "mais escuros" que o DJ costumava tocar.
    Foi quando aconteceu um fato que quando eu fiquei sabendo quase chorei de emoção. No dia 14 de julho de 1960, Stewart estava apresentando um show na cidade de Bessemer, quando recebeu um aviso do dono do clube: a Ku Klux Klan, temida organização racista, havia mandado 80 homens para atacá-lo. Eles cercaram o clube e ameaçavam invadir o local. Sem perder a calma, Stewart avisou aos 800 brancos que vinheram lhe assistir, que teria de parar o show. Foi aí que o inesperado aconteceu.
     Agora a parte emocionante: os jovens que estavam no clube se rebelaram, saíram correndo do local e atacaram a Klan, lutando por esse homem que era tão discriminado pela cor de sua pele. Preste atenção no fato: brancos lutando contra brancos, pelo direito de ouvir música negra.
Tumblr_lc4ziiytio1qzlgxvo1_500_large     E o rock é uma música negra não só por estar sendo tocado por um negro, mas também porque foi criado pelos negros na época da escravidão, as músicas compostas pelos escravos tem duas coisas em comum: a predominância de uma base rítmica constante e repetitiva, e a utilização da música de uma forma emocional e espiritual. Nas colheitas de algodão dos Estados Unidos, os escravos cantavam para celebrar sua espiritualidade e seus ancestrais. Também cantavam sobre as mazelas da escravidão, estabelecendo assim uma relação direta entre sua música e a realidade social.
     De certa forma, com o rock o a sociedade americana passou a ser menos racista como era antigamente. Jovens brancos passaram a gostar de músicas que antes eram ouvidas apenas por negros e pobres.
     Paralelamente ao surgimento do rock, a sociedade norte-americana via o aparecimento de outro fenômeno, que se tornaria vital para a explosão do rock'n'roll: o adolescente.
     Não demorou para perceberem a importância dos jovens no mercado consumidor. Foi só aí que o rock explodiu na América. E foram lançados filmes, revistas, livros e todo tipo de coisa direcionada aos novos consumidores, o que fez com que o rock fizesse mais sucesso ainda.
5722401165_d367a9d841_z_large     Apesar do sucesso, muita gente previa um fim rápido para o rock. O gênero era visto como uma "modinha", aquele tipo de coisa que todo mundo quer, gosta ou faz, mas que rapidamente deixa de ser moda para ser substituída por outra modinha.
     Para piorar, os roqueiros passavam por maus bocados no fim dos anos 50: Elvis Presley foi para o Exército, Chuck Berry ficou preso dois anos por ter atravessado uma fronteira estadual com uma prostituta menor de idade, Little Richard abandonou o rock e virou pastor depois de "ouvir o chamado de Deus" durante um voo turbulento, Jerry Lee Lewis (imagem ao lado) arruinou a carreira ao casar com uma prima de 13 anos e Eddie Cochran morreu em um acidente de carro.
     Quando o futuro do rock’n’roll parecia negro, surgiram os Beatles. Mas essa é uma longa história que em outra oportunidade continuo.

7 comentários:

Márcia, Line e Bru *-* disse...

oiii te seguindo, adorei seu blog, depois passa lá no meu http://whatthehellsociedade.blogspot.com Xx

Any Brasil disse...

nossa muito bom seu post viva o rock
trendluxo.blogspot.com

Dalva Caroline Sores Lins *--* disse...

o=rafa ja te coloquei como afiliada! :D

Di Ferrero Forever disse...

PERFEITO O SEU BLOG!
Serio mesmo, eu adoorei muito.
Estou seguindo, segue de volta ?
Sempre que der eu vou dar uma passadinha aqui.
beijos!
http://www.diferreroforever.blogspot.com/

Divã das Baforetes disse...

adorei o post! bjbj da Telma

Dalva Caroline Sores Lins *--* disse...

eii ta tendo concurso no meu blog! participa! talvez vc ganhe <3 http://vidadegarota-dalva.blogspot.com/

Rart og Grotesk disse...

o rock evolucionou muito, e o mundo não teria graça se não tivesse rock não é mesmo?

bjs e bom fim de semana!

http://artegrotesca.blogspot.com

Postar um comentário

- Para evitar que seu comentário venha a ser excluído, leia a política de comentários do blog.
- Antes de fazer uma pergunta dê uma olhada na página de FAQ para ver se sua pergunta já não foi respondida lá.

Obrigada por comentar. Saber que minhas postagens são valorizadas por outras pessoas é o que me faz continuar com o blog