11 de dez de 2010

Dieta do Tipo Sanguíneo

     Hoje estava pesquisando na internet para estudar sobre os tipos sanguíneos e achei uma dieta que considerei completamente sem sentido, a "Dieta do Tipo Sanguíneo", e precisava mostrá-la para vocês.

     No mundo que vivemos hoje todos querem ser magros o bastante para parecerem bonitos nos padrões da sociedade atual, por isso começaram a surgir cada vez mais dietas, algumas normais que requerem somente coisas simples como comer menos ou deixar de comer coisas muito gordurosas, mas então começaram a aparecer dietas cada vez mais bizarras já que hoje alguém faria de tudo para emagrecer.
     Idealizada pelo naturopata Peter D´Adamo, a dieta do tipo sangüíneo mostra o que é bom ou não consumir de acordo com os quatro grupos principais (A, B, AB e O). Os alimentos, segundo a dieta de D´Adamo, são divididos em três categorias: benéfico (alimento que atua como remédio, capazes de prevenir e tratar doenças), neutro (atua como alimento mesmo) e nocivo (atua como veneno ao organismo, podendo causar ou agravar doenças). Eis o que ele fala sobre cada grupo:
     Grupo sanguíneo O: Quase 50% da população tem este tipo de sangue, é o grupo mais antigo e é o resultado do cruzamento de várias culturas. Geralmente precisam comer proteína animal todos os dias. O aparelho digestivo é forte, pois produz sucos gástricos em abundância, importante para a digestão da carne. Mas justamente por produzirem maior quantidade desses sucos gástricos, ocorre a maior incidência de doenças estomacais, como gastrites e úlceras. Não são bem-vindos: aveia, trigo, grãos e derivados do leite. O sistema imunológico é bem ativo e consegue reagir ao estresse com grande atividade física.
     Grupo sanguíneo A: Por volta de 38% da população tem esse tipo sanguíneo. Com o início das práticas agrícolas, esse grupo foi um dos primeiros a evoluir (por causa do consumo de vegetais). As pessoas pertencentes a esse segmento saem-se melhor como vegetarianos. O aparelho digestivo é sensível, com dificuldades para decompor as proteínas e gorduras e alimetos de origem animal, pois produzem menos suco gátstrico. Essa pessoas são mais sensíveis a doenças de coração, ao câncer e ao diabetes. Alimentos como proteínas de soja, grãos, legumes, comidas frescas, orgânicas, peixes e frutas são muito importantes. O sistema imunológico é tolerante e reage melhor ao estresse com atividades relaxantes.
     Grupo sanguíneo B: Uma base de 10% da população tem esse tipo de sangue. Ele surgiu quando seres humanos migraram para o Norte, encontrando terras mais frias e sombrias. A dieta pode ser mais variada, incluindo carne, e é o único tipo de sangue que se dá muito bem com os laticínios. O sistema imunológico das pessoas que tem o tipo B é forte, reage melhor ao estresse com criatividade. As recomendações gerais de alimentação são: carnes como cordeiro, carneiro, coelho, peru; peixes como bacalhau, salmão, liguado; laticíneos como leite magro, iogurte e queijos; cereais como arroz, aveia, batata e inhame; azeite de oliva e muitas verduras e legumes.
     Grupo sanguíneo AB: Cerca de 4% da população tem esse tipo de sangue. É uma adaptação moderna que surgiu da mistura do A e do B. Seu aparelho digestivo é sensível. Necessita de alimentos misturados em porções equilibradas. Já o sistema imunológico é excessivamente tolerante, tem reações às mudanças dietéticas e ambientais. No geral, os alimentos recomendados são carne, peixe, produtos do leite, legumes, cereais, frutas e verduras.
     Na mesma escala de seu sucesso a dieta do tipo sanguíneo gerou controvérsias e acusações de ser pseudo-ciência nociva. Além de médicos e biólogos apresentarem discordância quanto à teoria por trás da dieta do tipo sanguíneo, nutricionistas declaram preocupação pelo fato dela restringir grupos alimentares para determinados tipos de sanugue, tornando a alimentação desequilibrada.

0 comentários:

Postar um comentário

- Para evitar que seu comentário venha a ser excluído, leia a política de comentários do blog.
- Antes de fazer uma pergunta dê uma olhada na página de FAQ para ver se sua pergunta já não foi respondida lá.

Obrigada por comentar. Saber que minhas postagens são valorizadas por outras pessoas é o que me faz continuar com o blog