25 de fev de 2011

Área 51

     Gente, peguei uma gripe horrível, e quando pego gripe, sempre me vem junto um ataque de rinite e pronto, é pra acabar, mas, apesar de ter passado quase o dia inteiro para fazer a postagem pelo estado que estou, consegui escrevendo (kk).

Ficheiro:Wfm area 51 landsat geocover 2000.jpg     Recebi um pedido de um leitor do blog se poderia falar sobre a Área 51, uma das mais famosas Teorias da Conspiração existentes, e claro que pude atender a um pedido assim, deixo vocês a vontade se quiserem dar alguma ideia para postagem no blog.

     Área 51 é o nome atribuído à área militar restrita no deserto de Nevada, próxima ao Groom Lake, Estados Unidos. É uma área tão secreta que o governo norte-americano só admitiu sua existência oficial em 1994, e ainda assim com muitas restrições.
     Muito provável que seja uma das bases de testes aéreos mais sigilosas do planeta, mas é conhecida mundialmente por uma série de supostos acontecimentos ocorridos na década de 1970, e que alguns atribuem a um suposto envolvimento e contato do exército americano com extraterrestres. Nenhum desses argumentos foi confirmado nem negado, deixando uma incógnita no domínio popular, criando uma enorme Teoria da Conspiração. Clique em "ler mais" para conhecê-la.
     Talvez ela seja uma estratégica do governo dos Estados Unidos, para difamar as reais atividades, e nunca se obtê-las, por isso, não se tem informações concisas sobre à base. Entretanto, as teses, que prevalecem, são: a que a base é uma instituição militar secreta, que tem uma série de homens trabalhando (Geralmentes Ph.Ds: engenheiros aeronauticos, biólogos, intérpretes, psicológos, cientistas em geral), para desenvolver as armas mais avançadas, a base, segundo a tese, tem cerca de seis andares subterrâneos abaixo de uma camada de três metros de terra e cerca de sessenta e quatro metros de profundidade abaixo da camada de terra, essa parte é construída em materias super resistentes, numa estrutura de uma espécie de caixa em formato de um "pentagono", que funciona como um bunker, fica a estrutura que suporta os impactos que a base ocasialmente poderia sofrer.
    Alguns acreditam que o aeroporto da superfície é apenas a ponta do iceberg e que sob o deserto há um enorme esconderijo de uma sede de testes secretos. Supostamente, é para lá que são levados os Óvnis e seus ocupantes que caíram na Terra para serem examinados, como os famosos alienígenas de Roswell (foto ao lado).
     Desde o estabelecimento da Área 51, algumas pessoas declararam ter visto estranhos objetos sobrevoando seu espaço aéreo e arredores, mas as autoridades sempre negaram os fatos. Contudo, alguns de seus próprios funcionários (entre eles o físico Bob Lazar) declararam que na base, além de projetos militares avançados que usam tecnologia alienígena ativamente, discos voadores genuinamente extraterrestres também seriam objetos de estudo de engenharia reversa. As naves, resgatadas intactas ou em acidentes, eram consertadas ou reconstruídas na Área e depois submetidas à prova por pilotos de testes.
     Bob Lazar recentemente estendeu suas declarações e informou que o governo norte-americano estava pesquisando nada menos que nove discos voadores na Área 51. Por suas declarações, ele e sua mulher receberam várias ameaças de morte. Assim, evitando correr riscos, em novembro de 1989 decidiu aparecer em público e confirmou suas alegações. Disse que há um lugar secreto no interior da Área 51, conhecido como S-4, próximo ao lago seco Papoose, onde as naves alienígenas eram guardadas. Explicou que seu trabalho se dava justamente naquelas instalações, junto a uma equipe de 22 engenheiros contratados para estudar os sistemas de propulsão dos discos voadores.
Fgsg1a_large     Ainda segundo Lazar, o S-4 era um enorme complexo subterrâneo que ocupava toda a área de uma cordilheira de montanhas. No início, o físico pensou que estivesse trabalhando com uma tecnologia altamente sofisticada criada pelo homem. Mas quando entrou em um dos discos voadores lá alojados, convenceu-se de que se tratava de algo de outro mundo, porque tanto sua forma quanto suas dimensões confirmam sua origem não humana. "As naves que examinei não possuíam juntas aparentes, nenhuma solda, parafusos ou rebites", disse Lazar. "As bordas de todos os elementos da espaçonave eram arredondadas e suaves, como se tivessem sido feitas com cera quente submetida a um rápido processo de resfriamento".
     De acordo com seu relato, havia arcos e delicadas cadeiras de somente trinta centímetros de altura no interior dos veículos espaciais. Sua unidade de propulsão era o que mais lhe intrigava: tinha o tamanho de uma bola de beisebol e irradiava um campo antigravitacional através de uma coluna oca, situada verticalmente no centro da nave. Lazar teve sua curiosidade científica aguçada e passou a procurar informações sobre tudo o que acontecia em S-4. Foi quando teve acesso a um memorando que confirmou suas suspeitas. Nele havia uma quantidade impressionante de informações sobre os extraterrestres, "inclusive fotografias de autópsias de pequenos seres cinzas com grandes cabeças calvas", declarou à Revista UFO. "O governo estava escondendo da população fatos da maior gravidade, e tudo aquilo estava sendo feito em Groom Lake, mais precisamente em S-4", desabafou.

3 comentários:

Bruno JP Teixeira disse...

nossa muito interessante... eu acredito que realmente existe uma área restrita, e escondida pelo governo própria para isso, e eles não tem o menor interesse em divulgar isso ao resto da humanidade....

ótimo post...
abrçs
Bruno JP Teixeira - O Portuga
Blog: http://brunojpteixeira.blogspot.com

Divã das Baforetes disse...

tenho certeza q existe muuuuita coisa sinistra por lá rsrsrs bjbj da Telma

jóia disse...

uma coisa isso existe nao sei mais se existir eles sao igual a nos so de corpos diferentes e linguas tb

Postar um comentário

- Para evitar que seu comentário venha a ser excluído, leia a política de comentários do blog.
- Antes de fazer uma pergunta dê uma olhada na página de FAQ para ver se sua pergunta já não foi respondida lá.

Obrigada por comentar. Saber que minhas postagens são valorizadas por outras pessoas é o que me faz continuar com o blog