17 de mai de 2011

O Velho e o Alquimista

Como falei ontem sobre ouro e comentei que os alquimistas desejam muito converter qualquer elemento químico em ouro, vou lhes mostrar essa história que ilustra esse desejo:
     Era uma vez um velho que vivia com uma linda filha. Ela se apaixonou por um belo rapaz, e ambos casaram com as bênçãos do pai. O jovem casal viveria feliz, se não fosse um problema: o marido dedicava todo o tempo à alquimia, sonhando com uma maneira de transformar elementos comuns em ouro. Logo seu pratimônio acabou, e a jovem esposa tinha de lutar diariamente para comprar o que comer. Afinal, pediu ao marido que procurasse emprego, mas ele protestou:
     - Estou às portas de uma grande descoberta! Quando terminar, seremos mais ricos do que sonhamos!
     A jovem esposa, por fim, contou seu problema ao pai. Este ficou admirado ao saber que seu genro era alquimista, mas prometeu ajudar a filha, pedindo que o jovem viesse vê-lo no dia seguinte.
     O rapaz, contrariado, foi até ele, esperando uma reprimenda. Para sua surpresa, o sogro lhe confiou:
     - Eu também fui alquimista quando jovem!
     Os dois passaram a tarde conversando. Finalmente, o velho ergueu-se animado:
     - Você tem feito tudo o que eu fiz! - exclamou - Está, sem dúvida, às portas de uma grande descoberta. Mas, para transformar elementos comuns em ouro, você precisa de mais um componente; e só recentemente descobri esse segredo.
     O velho fez uma pausa e suspirou:
     - Sou, porém, muito velho para realizar essa tarefa. Requer muito esforço.
     - Eu posso fazê-lo, querido pai! - disse o moço, espontaneamente.
     O rosto do velho se iluminou:
     - Sim, talvez você possa.
     E, então, curvando-se, sussurou:
     - O componente de que você precisa encontra-se em um pó prateado, que cresce na folha das bananeiras. Esse pó se torna mágico quando você mesmo as planta e lança um certo encantamento sobre elas.
     - De quanto pó precisamos? - o moço perguntou.
     - Duas libras - respondeu o velho.
     - Isso requer centenas de bananeiras!
     - Sim - suspirou o velho - e é por isso que eu não posso terminar o trabalho sozinho.
     - Não tema - disse o jovem - eu o farei!
     Assim, o velho ensinou o genro as palavras mágicas e lhe emprestou o dinheiro para o empreendimento.
     No dia seguinte, o moço comprou um terreno e carpiu. Ele mesmo cavou a terra de acordo com as instruções do velho, plantou as bananeiras e dirigiu-lhes as palavras mágicas. Cada dia ia examinar as plantas, livrando-as de doenças e ervas daninhas. Quando deram frutos, recolheu o pó prateado de suas folhas. Havia muito pouco em casa planta. Então o moço comprou mais terra e plantou mais bananeiras. Depois de muitos anos, conseguiu juntar duas libras de pó mágica e foi correndo à casa do sogro.
     - Consegui o pó mágico!
     - Agora, vou lhe mostrar como transformar elementos comuns em ouro! Mas, primeiro, você precisa chamar sua esposa. Precisamos de sua ajuda.
     O jovem ficou surpreso, mas obedeceu. Quando a filha chegou, o velho perguntou-lhe:
     - Enquanto seu marido juntava o pó da bananeiras, o que fez com os frutos?
     - Ora, vendi-os - a filha respondeu - e foi assim que ganhamos a vida.
     - Você economizou algum dinheiro?
     - Economizei.
     - Posso vê-lo?
     A filha, então, correu até sua casa e voltou com diversas sacolas. O velho abriu-as, viu que estavam cheias de ouro e despejou as moedas no chão. Pegrou depois um punhado de pó e colocou-o ao lado do ouro.
     - Veja, - disse, voltando-se para o genro - você tranformou a poeira em ouro!
     Seguiu-se um momento de tensão, no qual o moço permaneceu calado. Depois riu, ao compreender a sabedoria implícita no truque do velho. E, desse dia em diante, ele e a esposa prosperaram multíssimo. Ele cuidava da plantação, enquanto ela ia ao mercado vender as bananas. E ambos reverenciavam o velho como o mais sábio dos alquimistas.

1 comentários:

Any Brasil disse...

que tuuudo, adorei o post.
trendluxo.blogspot.com

Postar um comentário

- Para evitar que seu comentário venha a ser excluído, leia a política de comentários do blog.
- Antes de fazer uma pergunta dê uma olhada na página de FAQ para ver se sua pergunta já não foi respondida lá.

Obrigada por comentar. Saber que minhas postagens são valorizadas por outras pessoas é o que me faz continuar com o blog