10 de nov de 2011

A Chave do Tamanho

Deu um problema na minha internet que só deu pra eu postar algo hoje, muito chato mesmo esse problema, mas pelo menos estou agora podendo fazer esse post, então continuidade ao Desafio dos Livros com esse post que quase não sai por conta da internet.

Dia 2: Livro que menos gostou

     Muitas pessoas consideram Monteiro Lobato um dos maiores escritores da literatura brasileira, mas eu acho que seus livros não são bons. O modo como ele escreve não me agrada e as suas histórias são estranhas, sei lá, eu não gosto. Quando assistia o Sítio do Picapau Amarelo na televisão eu achava super legal, pois haviam histórias envolventes e personagens legais e engraçados, mas os livros dele não me transmitiram a mesma magia que via na televisão, acho que por isso não gosto muito de suas obras.
     Esse livro foi publicado em 1942 e tem como personagens os mesmos do primeiro livro da série sobre o Sítio do Picapau AmareloDona Benta e seus netos Pedrinho e Narizinhotia Nastácia, a cozinheira; Visconde de Sabugosa, um sabugo de milho super inteligente; Quindim, um rinoceronte domesticado; Conselheiro, um burro falante e Rabicó, o porquinho que foi casado com Emília, a boneca de pano que foi evoluindo até virar gente.
     Com a Segunda Guerra Mundial em seu auge, Dona Benta estava muito triste com a série de mortes que haviam ocorrendo e também com todos os feridos deixados por essa guerra. A tristeza dela estava abalando o sítio inteiro, o que fez com que Emília tentasse pensar em alguma coisa para acabar com esse problema.
     Ela teve a ideia de pegar o pó de pirlinpinpin para voar até a casa das chaves - que seria onde comanda-se o mundo inteiro - para desligar a chave da guerra e nunca mais ter guerra em nenhum lugar. Quando ela foi desligar essa tal chave, ficou em dúvida de quais delas era a da guerra e desligou uma que julgava que fosse, sendo que na verdade era a chave do tamanho, e seu desligamento fez com que todos ficassem pequenos.
     Muitos morreram comidos por gatos, passarinhos, cachorros ou sufocados pelas próprias roupas. Para tentar resolver o problema, Emília pediu que Visconde construísse uma casa para ela em suas cartola chamada Sítio da Emília, pois, já que o Visconde era um sabugo de milho e não uma pessoa, ele ainda estava no tamanho normal. A boneca viajou pelo mundo nesse sítio até chegar a uma cidade onde as pessoas se organizaram para viver em um bande, com a ajuda de Visconde.
     Com todas as pessoas pequenas, a guerra acabou e as crianças tem vontade de continuarem minúsculas. Assim, ocorre um plebiscito em que as crianças perdem unicamente por causa de Visconde. Os amigos conseguem, então, voltar a Casa das Chaves e voltar ao tamanho normal.

1 comentários:

LarissaEmmily disse...

Já está nos meus parceiros (:
Kisu ;*
http://ladonerdl.blogspot.com/

Postar um comentário

- Para evitar que seu comentário venha a ser excluído, leia a política de comentários do blog.
- Antes de fazer uma pergunta dê uma olhada na página de FAQ para ver se sua pergunta já não foi respondida lá.

Obrigada por comentar. Saber que minhas postagens são valorizadas por outras pessoas é o que me faz continuar com o blog